Johannes Janzen


  Q U I N T A - F E I R A ,   1 6   D E   A B R I L   D E   2 0 1 5




Nancy Pearcey em entrevista ao THE CHRISTIAN POST:

Os secularistas afirmam que sua visão do casamento [entre pessoas] do mesmo sexo é uma expressão de respeito. Mas, surpreendentemente, a visão de mundo subjacente é, de fato, uma visão desrespeitosa do corpo humano.

Alguns anos atrás, a natureza era reconhecida como a criação de Deus, expressando os propósitos de Deus. Uma vez que nossos corpos fazem parte da natureza, então o corpo humano também possui um propósito. A correspondência biológica entre macho e fêmea na reprodução é parte da criação original que Deus pronunciou como "muito bom" - moralmente bom - fornecendo um ponto de referência para a moralidade.

O que mudou essa visão de uma natureza dirigida por propósito? A teoria da evolução de Darwin: Propôs-se expressamente de eliminar o conceito de propósito ou de design na natureza.

Isso não somente mudou a biologia, mas também causou uma mudança monumental no pensamento moral. Pois se a natureza não carrega mais consigo os sinais dos bons propósitos de Deus, então ela não fornece mais uma base para verdades morais. A natureza é somente uma máquina, agitada por forças cegas e materiais.

O corpo humano também foi reduzido a um mecanismo moralmente neutro. Nossa identidade sexual já não nos fornece mais pistas em como nós devemos viver. E se a natureza não revela a vontade de Deus, então ela se transforma numa realidade moralmente neutra onde humanos podem impor suas vontades e preferências.

Este pano de fundo é fundamental para o entendimento do impacto da homossexualidade. Pense nisso dessa maneira: Biologicamente, fisiologicamente, machos e fêmeas são claramente homólogos um ao outro. É dessa forma que a anatomia sexual e reprodutiva humana é projetada.

Como consequência, o engajamento em práticas homossexuais requer indivíduos que contradigam sua própria anatomia – para substituir o óbvio projeto de sua fisiologia, para agir em oposição à sua própria biologia.

A implicação é que a biologia não importa.

Nós precisamos ajudar as pessoas a enxergarem que isso é uma visão profundamente desrespeitosa de seu próprio corpo. Ela trata o corpo como não tendo propósito ou significado intrínseco – não deixando nenhuma pista de quem nós somos como pessoas. Portanto, a homossexualidade possui um efeito auto alienante e fragmentado da personalidade humana.

Por outro lado, a visão bíblica respeita nossa identidade biológica, e, portanto, leva a uma integração da personalidade holística. Ela afirma nossa integridade como pessoas encarnadas. A raiz da palavra integridade significa inteiro, integrado, unificado – nossas mentes e emoções em sintonia com nosso corpo físico.

A correspondência biológica entre mancho e fêmea não é um acidente cósmico em um universo sem significado. A diversidade primordial é parte da criação original que Deus afirmou como "muito bom"... garantindo uma maior dignidade e valor à pessoa humana que qualquer alternativa secular.


  Palavras-chave: homossexualismo, cristianismo, secularismo

Enviado por: Johannes Janzen  |  2911 views   

   Postagens relacionadas


   Deixe aqui seu comentário

Nome *:
E-mail *:
  (não será publicado)
Título:
Texto *:
Texto da Imagem *:
  (sem espaços)
 

   Comentários (1)

Maravilhoso!
De uma forma simples você disse e explicou tudo! Texto maravilhoso. Saber nossa identidade em Deus nos faz sentir completos!

Enviado por: Paula Aggio de Sa Machado  |  Data: Qui, 16/04/2015 às 15h56   




   Pesquisar

   Arquivo

   Sobre mim
   Johannes G. Janzen é professor de engenharia na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Possui doutorado em Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo com período sanduíche na Universidade de Karlsruhe, Alemanha. Tem experiência na área de Engenharia Civil e Ambiental com ênfase em Fenômenos de transporte e Hidráulica.

   Postagens mais recentes

   Postagens mais vistas

   Comentários recentes

   Palavras-chave

   Twitter

   Facebook

O conteúdo deste website, salvo indicações, é de uso exclusivo da
Sociedade Origem e Destino - Copyright © 2011